segunda-feira, 12 de junho de 2017

Santo Antônio


Santo Antônio nasceu em Lisboa no dia 15 de agosto de 1195. Foi batizado com o nome de Fernando de Bulhões. Aos 19 anos entrou para o mosteiro dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, em Lisboa. Dois anos depois, vai para Coimbra e fica lá por 10 anos se aprimorando no conhecimento intelectual.
Em Coimbra foi ordenado sacerdote. Tinha o dom da palavra e força na pregação.
Em Coimbra ele conheceu os Frades Franciscanos e se entusiasmou pelo fervor e radicalidade com que viviam o Evangelho. Ao ver na Praça de Coimbra os corpos de 5 franciscanos martirizados em Marrocos por anunciarem o Evangelho, se sente tocando profundamente, tanto que pede para se tornar Franciscano. No dia de receber o hábito franciscano mudou o nome para Frei Antônio.
Em seu ardor missionário faz o pedido para ir à Marrocos pregar o Evangelho, disposto também a dar a vida por Jesus Cristo. Mas durante a viagem fica muito doente e é obrigado a voltar. Na viagem de volta o barco onde estava foi atingido por uma forte tempestade que desviou a rota, e ele vai parar na Itália.
Santo Antônio conheceu pessoalmente São Francisco de Assis, que por seu conhecimento teológico o colocou responsável pela formação dos frades. Após a morte de São Francisco, é Santo Antônio que vai à Roma apresentar ao Papa Gregório IX a Regra da Ordem Franciscana.
Santo Antônio ficou muito conhecido pelos seus grandes sermões. Sua maneira de pregar atraía multidões e provocava profunda conversão no coração daqueles que o escutavam. Mas Santo Antônio é lembrado, acima de tudo, por ser, a exemplo de São Francisco, um grande irmão dos mais pobres, um olhar atento aos necessitados e um coração que partilhava o pão e o dom da vida.
Por ser um grande pregador e conhecedor bíblico, a ponto do Papa Gregório IX chama-lo de “arca do Testamento”, é comum ver sua imagem segurando o Livro dos Evangelhos, e sobre o livro o Menino Jesus, que expressa como sua pregação revelava o Verbo Encarnado.
Morreu em Pádua, Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos. Após sua morte aconteceram tantos milagres que 11 meses depois ele foi beatificado e canonizado.
Quando seu corpo foi exumado sua língua estava intacta. São Boaventura, frade Franciscano que estava presente, disse que esse milagre era a prova de que sua pregação era inspirada por Deus. Sua língua esta exposta até hoje na Basílica dedicada a ele em Pádua.
Em 1946 foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII. Ele é conhecido tanto como Santo Antônio de Lisboa, pela cidade onde nasceu em Portugal, e como Santo Antônio de Pádua, pela cidade onde morreu na Itália. São referências de lugares diferentes onde viveu um mesmo Santo que amou a Jesus Cristo na forma como amou e pregou o Evangelho aos pobres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário