segunda-feira, 3 de julho de 2017

ESPERANÇA

Por Teodomiro Tadeu Viana Franco

Porque assim me conturbas e estás triste,
Minha alma?1 Pois em Deus não tens confiança?
Ele te olha do Céu, Ele te assiste...
Prende-te à âncora firme da Esperança.

O amor a tudo, impávido, resiste;
O amor jamais diz — basta! jamais cansa;
Paladino de lança sempre em riste
— Tão forte como a morte, — tudo alcança.

Ama, e canta a teu Deus tua saudade...
Em breve cantarás, na Eternidade,
O gonzo de possuir a teu Criador.

Em breve a Deus verás, no eterno dia
 Que não termina e que não principia,
— Na eterna luz do Sol do eterno amor.

Novembro, 1920

Sonetos de Madre Maria José de Jesus, carmelita descalça

- A Grande Guerra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário